Maison Tropicale: Um protótipo, três casas, duas obras de arte

Ângela Ferreira, Jürgen Bock

Ângela Ferreira e Jürgen Bock discutirão a representação portuguesa na 52ª Bienal de Veneza, em 2007. Ângela Ferreira desenvolveu a sua instalação Maison Tropicale para esta ocasião, com curadoria de Jürgen Bock, enquanto Manthia Diawara foi convidado a escrever sobre o trabalho de Ferreira e a dirigir um filme sobre o projeto português. Os três encontraram-se em Paris para delinear e discutir a história das Casas Tropicais de Jean Prouvé, e viajaram juntos para Niamey, no Níger, e Brazzaville, no Congo, para procurar o que restava do projeto colonial francês. Na época, as casas haviam sido recentemente “descobertas” pelo mercado da arte, resultando no seu desmantelamento e envio para Paris e para os EUA. Com a Maison Tropicale, o pavilhão português transformou-se numa plataforma de interação internacional complexa, onde diferentes formas de narração, inerentes aos diferentes meios utilizados pelos autores, cada uma com suas próprias convenções e metodologias, inspiraram uma colaboração simbiótica entre a artista, o diretor de cinema e escritor, e o curado

Filme:

Maison Tropicale(2008, Mali, 58’)
Realizador: Manthia Diawara; Produção: Jürgen Bock, Maumaus; Montagem: Pedro Rodrigues; Imagem: Bruno Ramos; Som: António Fialho, Goumour Mohamed, Adelaide Mboueya, Ed Paredes; Com: Ângela Ferreira, Mireille Ngatsé, João Fernandes, Salah Hassan; Legendado em português
Mireille Ngatsé viveu durante anos na famosa Maison Tropicale desenhada pelo arquiteto francês Jean Prouvé. Não havia água ou eletricidade. Mas ela sentia-se segura em casa. Adorava a luz e o ar fresco que entravam através das persianas. No ano 2000, alguns galeristas de arte franceses foram a Brazzaville para comprar a Maison Tropicale. Desmantelaram-na e colocaram-na em recipientes para levá-la de volta para a França. Alguns anos mais tarde, Mireille Ngatsé vê a foto da Maison Tropicale num catálogo de arte, que estava em exposição nas margens do rio Sena. O documentário de Manthia Diawara parte do projeto artístico de Ângela Ferreira sobre a Maison Tropicale de Jean Prouvé, mostrado na Bienal de Veneza. Com base nas memórias dos antigos inquilinos das Maisons Tropicales em Niamey (Níger) e Brazzaville (Congo), o filme levanta a questão da definição da arte, da política de identidade e da cultura patrimonial no contexto pós-colonial.

ler mais
ler menos

Exposição Relacionada

Data
Título
Artistas
Curadoria
Galeria
12.05.2017
– 15.09.2017
Manthia Diawara. Percursos Intensivos
Manthia Diawara
Galerias Municipais / EGEAC
Galeria Avenida da Índia