Tutuguri

Flora Détraz

1/2

As Galerias Municipais apresentam uma performance da bailarina francesa estabelecida em Lisboa, Flora Détraz, na Galeria Quadrum. A performance Tutuguri, de Flora Détraz, foi desenvolvida no contexto da exposição «Falso Sol, Falsos Olhos» de Elisa Pône, a qual esteve patente na Galeria Quadrum entre 21 de Novembro de 2020 e 31 de Janeiro de 2021. A gravação vídeo da performance estará disponível online a partir de dia 1 de março até ao dia 1 de junho de 2021.

Tutuguri – site specific é parte da peça solo Tutuguri, de Flora Detraz, sendo adaptada, a cada apresentação, a espaços não teatrais (galerias, museus, jardins, estúdios de ensaio). A voz e o corpo de Détraz atuam em conjunto, oferecendo ao espetador a possibilidade de «ouvir» a dança. A peça solo polifónica Tutuguri explora a assincronia entre os movimentos e os sons, num perpétuo conflito de opostos. O corpo da bailarina é habitado por sussurros, vocalizações animais, ruídos infantis, sons alienígenas, conversas, espasmos e cantos viscerais, transportando o espetador/ouvinte para uma paisagem espetral de vozes. Tutuguri é uma procura de união, propondo fluxos de sons e afetos, e promovendo pontes para o vazio.

Flora Détraz é coreógrafa e intérprete de dança, com formação em ballet e estudos literários. Iniciou os seus estudos no Centre Chorégraphique National de Lyon, sob a direção de Maguy Marin, tendo depois concluído estudos coreográficos na Pepcc, Forum Dança, em Lisboa. Teve a oportunidade de conhecer os artistas Marlene Monteiro Freitas, Vera Mantero, Lia Rodrigues, Meredith Monk, Loïc Touzé, Meg Stuart, Jonathan Burrows, que influenciaram o seu trabalho. Questionando a relação entre a voz e o movimento, Detraz começou a coreografar as suas próprias peças em 2013: Peuplements (2013), Gesächt (2014), Tutuguri (2016), Muyte Maker (2018). Enquanto intérprete, trabalha atualmente com Marlene Monteiro Freitas em Bacantes-Prelúdio para uma Purga.

TUTUGURI
Autoria e Interpretação – Flora Détraz
Assistência – Anaïs Dumaine
Produção – PLI
Co-produções – Materiais Diversos (pt), PACT-Zollverein (de), MA scène nationale, Montbéliard (fr), Relais culturel de Falaise (fr), CCN de Caen en Normandie – direction Alban Richard (fr)
Residências – Ramdam, un centre d’art (fr), Espaço Alkantara (pt), Espacio Azala (es)
Financiamentos – Fundação Calouste Gulbenkian (pt), DRAC Normandie (fr)

FALSO SOL, FALSOS OLHOS
Uma exposição de Elisa Pône na Galeria Quadrum, Lisboa. Novembro 2020 – Janeiro 2021
Curadoria – Estelle Nabeyrat
Produção – Galerias Municipais, Lisboa
Apoios – Institut Français Lisboa e IF-Monographie Paris, In Safe Hands

ler mais
ler menos

Exposição Relacionada

Data
Título
Artistas
Curadoria
Galeria
21.11.2020
– 31.01.2021
Falso Sol, Falsos Olhos
Elisa Pône
Estelle Nabeyrat
Galeria Quadrum