Redes, Colaboração & Resistência entre Portugal & Brasil, 1962-1982. Obras do Arquivo Fernando Aguiar & da Coleção Moraes-Barbosa

Esta publicação acompanha a exposição Redes, colaboração e resistência em/entre Portugal e Brasil, 1962-1982, concebida em colaboração com John Young Museum of Art/University of Hawai’i at Mãnoa e patente na Galeria da Avenida da Índia entre 26 de junho e 5 de setembro de 2021. Editada por Maika Pollack, contém documentação fotográfica das obras expostas, textos de Tobi Maier e Maika Pollack, e um ensaio de Rui Torres.

“Os temas encontram-se agrupados em torno de #resistência && #método, bem como #colaboração && #apropriação e #rede && #investigação. Seguindo esta narrativa, o público da exposição e os leitores desta publicação são convocados a entrar no abundante universo da arte de vanguarda, poesia visual, concreta e experimental, e os múltiplos significantes que continuam a ressoar com a vida contemporânea e nas suas linguagens visuais.”
-Tobi Maier

“Na presente exposição, a obra de Haroldo de Campos, Augusto de Campos, Ana Hatherly e E. M. de Melo e Castro manifesta resistência política contra governos opressivos e políticas coloniais do Brasil e de Portugal durante as décadas de 1960 e 1970, desde a Revolução dos Cravos em Portugal até aos Anos de Chumbo no Brasil. (…) Encontramos, por fim, um modelo que nos permite imaginar a obra através de um novo enquadramento: não através da lente teleológica da história, ou de um quadro de origem nacional, mas através de um conjunto conceptual de categorias que nos orienta para que encontremos novas relações entre as publicações.”
-Maika Pollack

“#apropriação diz respeito a formas intersemióticas que exploram e problematizam a performatividade normativa dos instrumentos e materiais. Reprodução e remediação estão combinadas nestas ações multidisciplinares, ampliando os poemas para integrar escrita, música e imagem. Os diferentes sistemas de significação são apropriados e a sua materialidade é interrompida, dissolvendo fronteiras entre géneros. Isto sugere uma hibridização e intermedialidade, incorporando também tradução, diálogo e adaptação. Formas burocráticas, imagens da imprensa convencional, e estruturas e formas emanadas de mecanismos regulatórios são capturadas e transformadas.”
-Rui Torres

ler mais
ler menos

Exposição Relacionada

Data
Título
Artistas
Curadoria
Galeria
26.06.2021
– 05.09.2021
Redes, colaboração e resistência em/entre Portugal e Brasil, 1962-1982
Abílio-José Santos, Álvaro de Sá, Ana Hatherly, Ânima, António Aragão, António Dantas, António de Campos Rosado, António Nelos, Ariel Tacla, Augusto de Campos, Décio Pignatari, Edgard Braga, E. M. de Melo e Castro, Erthos Albino de Souza, Haroldo de Campos, Iberê, José-Alberto Marques, José Lino Grünewald, Julio Plaza, Leonhard Frank Duch, Liberto Cruz, Manuel de Seabra, Neide Sá, Nei Leandro de Castro, Nenn, Omar Khouri, Paulo Miranda, Pedro Osmar, Pedro Tavares de Lima, Pedro Xisto, Peo, Quirinus Kuhlmann, Regina Silveira, Régis Bonvicino, Ronaldo Azeredo, Salette Tavares, Silvestre Pestana, Sílvio Antonio Spada, Ubirajara Ribeiro, Willy Corrêa de Oliveira e Wlademir Dias-Pino.
Rui Torres
Galeria Avenida da Índia