Pavilhão Branco

Hoje, nada

Artistas Daniel Blaufuks
Curadoria Sérgio Mah
Inauguração 21/09/2019 17:00
Data De 22/09/2019 a 24/11/2019
Folha de Sala

Retomando temas e questões recorrentes no trabalho deste artista, designadamente a articulação entre o valor histórico e o potencial rememorativo da fotografia, esta exposição reúne um conjunto muito diversificado de obras – de várias séries anteriores e algumas obras inéditas – que configuram um quadro conceptual e especulativo sobre o carácter projectivo das imagens.

 

Taking up themes and recurring questions in the work of Daniel Blaufuks, namely the articulation between the historical value and the reminding power that are inherent to photography, this exhibition brings together a very diverse set of works. Several series are exhibited alongside unpublished works, which together form a conceptual and speculative framework projective character of the image

 

Biografia

Daniel Blaufuks tem trabalhado na relação entre fotografia e literatura, através de obras como My Tangier com o escritor Paul Bowles. Mais recentemente, Collected Short Stories apresentou vários diptícos fotográficos numa espécie de “prosa de instantâneos”, um discurso baseado em fragmentos visuais, que insinuam histórias privadas a caminho de se tornarem públicas. A relação entre o público e o privado, a memória  individual e a memória colectiva tem sido,aliás, uma das constantes interrogações  no seu trabalho.

Utiliza principalmente a fotografia e o video, apresentando o resultado através de livros, instalações e filmes. O seu documentário Sob Céus Estranhos foi apresentado no Lincoln Center em Nova Iorque. Algumas das suas exposições foram no Centro de Arte Moderna, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Palazzo delle Papesse, Siena, LisboaPhoto, Centro Cultural de Belém, Lisboa, Elga Wimmer Gallery, New York e Photoespaña, Madrid, onde o seu livro Sob Céus Estranhos recebeu o prémio de melhor edição internacional do ano de 2007. Neste ano foi galardoado igualmente com o prémio BES Photo. O seu livro Terezín foi publicado pela editora Steidl, Göttingen.

Em 2011 expõs no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e já em 2014 no Museu Nacional de Arte Contemporânea em Lisboa. Em 2017 ganhou o Prémio AICA-MC Artes Visuais 2016, atribuído pelas exposições Léxico, realizada na Bienal de Vila Franca de Xira, e Tentativa de Esgotamento, realizada na Galeria Vera Cortês, em Lisboa.

 

ENG

Daniel Blaufuks has been working on the relation between photography and literature, through works like My Tangier with the writer Paul Bowles.More recently, Collected Short Stories displays several photographic diptychs in a kind of “snapshot prose,” a speech based on visual fragments that give indication of private stories on their way to become public. The relation between public and private and individual and collective  memory, has been one of the constant interrogations in his work.

He has been showing widely and works mainly in photography and video, presenting his work through books, installations and films. The documentary Under Strange Skies was shown at the Lincoln Center in New York. His exhibitions include: Calouste Gulbenkian Foundation, Lisbon, Palazzo delle Papesse, Siena, LisboaPhoto, Centro Cultural de Belém, Lisbon, Elga Wimmer Gallery, New York, Photoespaña, Madrid, where his book Under Strange Skies received the award for Best Photography Book of the Year in the International Category in 2007, the year he received the BES  Photo Award as well. He published Terezín with Steidl, Götingen. In 2011 he had a solo show at the Museum of Modern Art in Rio de Janeiro and in 2014 at the National Museum of Contemporary Art in Lisbon.